Escovas Dentais: como saber qual modelo é o ideal.

As possibilidades são muitas: tem as que giram, as que vibram, as com limpador de língua…entre as novidades que chegam ao mercado todos os anos.
Para o consumidor, muitas vezes parece apenas uma questão de escolha, porém o olhar clínico indica que para cada perfil há uma escova mais adequada. É importante ressaltar que escovar os dentes sem o prévio uso do fio dental, por mais mágica que a escova pareça ser, nunca será uma faxina bucal completa.
A escolha deve começar pelo tamanho da cabeça da escova, que dentre os atuais modelos, encontramos em numeração 30, 35 e 40, em que a menor (30) está indicada para crianças, ou para pós-cirúrgicos por serem geralmente as mais macias. As 35 e 40, com indicação para bocas maiores, devem possuir cerdas macias, pois as duras podem comprometer a saúde gengival, e ao contrário do que muitos pensam, ela limpa muito menos, e pode gerar um problema de desgaste exacerbado com o uso prolongado.
Dentre os vários modelos de escovas manuais, é importante saber que o que limpa o dente é o ato da boa esfregação, cerdas de borracha que massageiam a gengiva, ou tufos cibernéticos prostrados na lateral, muitas vezes podem até machucar se forem esfregados com muita intensidade.
As escovas elétricas giratórias encontram maior indicação para indivíduos que possuem algum grau de deficiência e não consegue higienizar os dentes adequadamente com as escovas convencionais. Para os indivíduos sem comprometimento e que possuem dificuldade em fazer uma boa escovação, devem tomar cuidado na escolha da escova elétrica, porque muitas que existem no mercado, se apertadas contra o dente, simplesmente, param de funcionar. Nestes casos, as preferíveis são as vibratórias.
Muitas novidades estão por surgir, e é bastante interessante, pois estimula o consumidor a comprar escovas com mais freqüência – já que a escova muito usada perde o formato e passa a prejudicar , e a individualização, pois ainda é bastante comum, apesar de anti-higiênico, as pessoas compartilharem suas escovas com familiares.
Para uma adequada faxina bucal estas dicas são imprescindíveis: troque a escova com freqüência (em média a cada três meses), escolha escovas de boa procedência, não tenha pressa para limpar os dentes, e não esqueça de escovar a língua e gargarejar!