Bioengenharia de tecidos em HOF

A Harmonização Orofacial é uma disciplina odontológica que tem por fim otimizar os contornos faciais aliando estética e função. A busca de proporções ajustadas a um perfil equilibrado requer um alinhamento das estruturas faciais e anexos. Está visão abrange a postura crânio-facial, o relevo tegumentar em sintonia com os contornos das projeções das estruturas, fazendo a alusão das proporções áureas tão estudadas na odontologia.

A bioengenharia de tecidos busca otimizar a relação de estímulo fisiológico e a formação de determinado tecido, através do uso de biomoléculas ou parte do próprio tecido biológico.

As características do tecido induzido devem ser as mesmas de seu leito, sem qualquer alteração morfológica ou celular.

A partir destes preceitos, e com o uso do estímulo adequado é possível recompor com presteza os tecidos senescentes e/ou lássidos.

As biomoléculas são interessantes quando suas características químicas permitem um estímulo através de quimiocinas específicas para a expressão de fatores de crescimento, porém estas características de diferenciação e trânsito celular são aprimoradas com o uso da FOTOBIOMODULAÇÃO, que entrega a energia luminosa para a conversão em energia química intracelular. Isto também acontece com o uso de material biológico como Concentrados sanguíneos e gordura, refletindo na capacidade da transformação do metabolismo, estimulando a expressão gênica de diversos fatores de crescimento, assim como o rearranjo intracelular, implementando a presença do complexo antioxidante, a redução do ácido ascórbico oxidado e o aumento do ácido retinóico através da diferenciação do fibroblastos em miofibroblasto, e na composição das fibrilas colágenas pelo estímulo do pró- colágeno tipo 1. Uma verdadeira bioengenharia dos tecidos que compõem a face.

A atualização dos profissionais da odontologia

Atualização profissional: a necessidade de reciclar conhecimentos.

Assistenciar um paciente não é via de regra uma missão simples. O cirurgião-dentista, assim como o médico, encontra muitas vezes na busca da reabilitação, dificuldades que podem fugir do conhecimento e coibir ou impedir o correto diagnóstico e tratamento.
É neste momento que os fóruns profissionais encontram sua grande importância. Discutir casuística, resultados positivos e negativos, trás a todos os profissionais a oportunidade de rever seus métodos de tratamento, ou confirmá-los como boas alternativas.
Atualmente é reconhecido que não basta tratar doenças, é necessário um olhar mais apropriado ao doente, e as novas tecnologias como o LASER e as antigas também, como a acupuntura, podem trazer ao paciente, inúmeros benefícios que permitem uma qualidade de vida melhor durante o período de covalescência, assim como uma cura mais rápida. Mas para tanto é de extrema importância que se evidencie clinicamente os benefícios das técnicas.
A linguagem científica esta envolta em paradoxos, e para que estes paradoxos sejam confirmados ou derrubados é necessário o investimento pesado em pesquisas.
No Brasil, as pesquisas de alto valor científico ainda ficam restritas nas grandes universidades, pois em muitas empresas do setor de saúde, há submissão em relação às pesquisas internacionais, mas este quadro está mudando.
Com a qualidade de profissionais formados no país, os congressos internacionais não são mais os mesmos. Antes era possível observar no release dos congressos, apenas professores doutores de grandes universidades americanas e européias, porém na atualidade o que se observa, são profissionais comprometidos com a evidência clínica com atuação na rotina diária do consultório, ao atendimento multidisciplinar de pacientes portadores de doenças que ainda suspiram a necessidade de investimentos nas pesquisas e nas ferramentas utilizadas para reversão istêmica ou cirúrgica desta condição.
Tratamentos já conhecidos como as cirurgias sem sangramento, ganham destaque, pois propiciam procedimentos com menos quantidade de anestésicos e a cicatrização é mais rápida e de melhor qualidade, principalmente com a utilização de alguns lasers já disponíveis no mercado para atuação médica e odontológica.
Ganham destaque também, as terapias de baixa intensidade que promovem efeito analgésico, antiinflamatório e antiedematoso, com ênfase no tratamento de halitose, pois a terapia a laser, tem efeito bactericida.
Um profissional com compromisso com a saúde de seus pacientes não pode deixar de se reciclar, “ampliar horizontes” deve fazer parte da rotina de todos os profissionais, mas para a área da saúde é sem dúvida, uma obrigação!