O contexto odontológico no universo feminino: a ditadura hormonal x saúde bucal.

As diversas fases hormonais em que a mulher será submetida ao longo de sua vida, pode instituir no contexto de saúde bucal, manifestações inerentes ao hormônio vigente ou à ausência dele, propiciando um tipo de gengivite persistente até comprometimentos severos no arcabouço periodontal ( tecido que liga o dente ao osso).
Na fase da primeira menstruação (ou menarca), a menina-mulher passa a conviver mensalmente com as alterações hormonais , que além de deixá-la apta a gerar um filho, modifica uma série de processos químicos do metabolismo que irão, muitas vezes, interferir em seu humor, em sua pele (acne)e em sua saúde bucal, principalmente se a higiene for deficiente, entre outras conseqüências, e isto pode acontecer durante toda a vida reprodutiva da mulher.
Os métodos contraceptivos hormonais e esterectomia, também podem alterar o padrão de saúde bucal da mulher, exigindo métodos efetivos de prevenção, como uma boa higiene bucal e dieta saudável, para que conseqüências mais severas fiquem afastadas. Aftas são bastante comuns em algumas mulheres, e isto requer providências.
Um período bastante crítico para agravar debilidades bucais, é a gravidez. Engana-se quem pensa que é culpa dela as enfermidades bucais que tanto incomodam muitas gestantes. Na realidade, mulheres com intercorrências de dor durante o período gestacional, geralmente trouxeram problemas de ordem de saúde bucal antes da concepção. E isto pode ser muito grave para o desfecho da gravidez, provocando até mesmo partos prematuros, devido aos processos infecciosos e liberação de substância tóxicas na circulação sanguínea.
Quando a mulher entra no período de climatério, a produção hormonal começa a diminuir até a fase de menopausa, exigindo cuidados específicos que deverão ser realizados para combater os fatores patogênicos da periodontite, doença silenciosa que degrada ossos e tecidos da implantação do dente, desestruturando-o, e consequentemente, condenando-o, e isto também pode acontecer com os implantes osteointegrados.
Mas para todos estes problemas há métodos preventivos seguros e eficientes, que ajudam a manter o que a humanidade tem de mais bonito: O SORRISO DA MULHER!

A atualização dos profissionais da odontologia

Atualização profissional: a necessidade de reciclar conhecimentos.

Assistenciar um paciente não é via de regra uma missão simples. O cirurgião-dentista, assim como o médico, encontra muitas vezes na busca da reabilitação, dificuldades que podem fugir do conhecimento e coibir ou impedir o correto diagnóstico e tratamento.
É neste momento que os fóruns profissionais encontram sua grande importância. Discutir casuística, resultados positivos e negativos, trás a todos os profissionais a oportunidade de rever seus métodos de tratamento, ou confirmá-los como boas alternativas.
Atualmente é reconhecido que não basta tratar doenças, é necessário um olhar mais apropriado ao doente, e as novas tecnologias como o LASER e as antigas também, como a acupuntura, podem trazer ao paciente, inúmeros benefícios que permitem uma qualidade de vida melhor durante o período de covalescência, assim como uma cura mais rápida. Mas para tanto é de extrema importância que se evidencie clinicamente os benefícios das técnicas.
A linguagem científica esta envolta em paradoxos, e para que estes paradoxos sejam confirmados ou derrubados é necessário o investimento pesado em pesquisas.
No Brasil, as pesquisas de alto valor científico ainda ficam restritas nas grandes universidades, pois em muitas empresas do setor de saúde, há submissão em relação às pesquisas internacionais, mas este quadro está mudando.
Com a qualidade de profissionais formados no país, os congressos internacionais não são mais os mesmos. Antes era possível observar no release dos congressos, apenas professores doutores de grandes universidades americanas e européias, porém na atualidade o que se observa, são profissionais comprometidos com a evidência clínica com atuação na rotina diária do consultório, ao atendimento multidisciplinar de pacientes portadores de doenças que ainda suspiram a necessidade de investimentos nas pesquisas e nas ferramentas utilizadas para reversão istêmica ou cirúrgica desta condição.
Tratamentos já conhecidos como as cirurgias sem sangramento, ganham destaque, pois propiciam procedimentos com menos quantidade de anestésicos e a cicatrização é mais rápida e de melhor qualidade, principalmente com a utilização de alguns lasers já disponíveis no mercado para atuação médica e odontológica.
Ganham destaque também, as terapias de baixa intensidade que promovem efeito analgésico, antiinflamatório e antiedematoso, com ênfase no tratamento de halitose, pois a terapia a laser, tem efeito bactericida.
Um profissional com compromisso com a saúde de seus pacientes não pode deixar de se reciclar, “ampliar horizontes” deve fazer parte da rotina de todos os profissionais, mas para a área da saúde é sem dúvida, uma obrigação!

A Saúde Bucal e sua importância para a boa saúde geral do Idoso.

Longevidade e mais qualidade de vida. Inserida nesta frase existe um contexto explícito que todos almejam – chegar à terceira idade lúcido e saudável.
E para tanto, algumas situações são exigências para quem quer chegar à melhor fase da vida e desfrutá-la de forma salutar, e a primeira delas é ter uma dieta focada em nutrição equilibrada, a qual depende da qualidade do alimento que se ingere e a forma que ele chega ao estômago, sendo que a digestão de grande parte dos alimentos se inicia na boca, onde o alimento deve ser efetivamente triturado. Quando ele chega ao estômago mal mastigado, dificulta a digestão e o metabolismo dos nutrientes, expondo o indivíduo à uma situação de ônus orgânico que pode desencadear processos de desnutrição, que pode ser o gatilho para o aparecimento de várias doenças oportunistas.
Falta de dentes, problemas periodontais, próteses desadaptadas, xerostomia (salivação escassa ou nula), são alguns quadros comuns para pacientes idosos, e longe de ser milagrosos, os implantes são apenas uma das formas possíveis para reabilitação, sendo que a presença de infecção em ambiente bucal pode agravar problemas sistêmicos como diabetes, cardiopatias, problemas renais , reumatológicos entre outros.
Implementar terapias de acompanhamento e definir estratégias preventivas, é propiciar àqueles pacientes que esperam mais que sossêgo na cadeira de balanço, uma terceira idade disposta ao convívio social com direito ao sorriso pleno de saúde.